ARTE DAS LETRAS

quarta-feira, 8 de junho de 2016

CONTOS QUE TE CONTO - O DIA "D" DE ISABEL - 2a. Parte


CONTOS QUE TE CONTO

                               O DIA "D" DE ISABEL

                                              2a. Parte

                                             .... continuação

Chegaram à igreja. Convidados entrando, gente espiando e o noivo? Ainda não tinha chegado. Dona Consuelo mandou a filha esperar dentro do carro até que o noivo chegasse.
- Besteira ficar aqui nesse calorão, Consuelo, deixe a menina entrar...
- Mãe, meu vestido está amassando aqui nesse banco do carro. O sutiã está me apertando o estômago. Vou entrar logo. E os pais do Jiliard  já chegaram?
- Isabel, calma! Os pais dele estão lá dentro no altar.
- Então vou sair daqui e ficar na entrada da igreja, assim estico o corpo e o vestido. Que horas são?
- Isabel, calma! São dezessete e cinco, você tem o direito de atrasar. Toda noiva atrasa.
Consuelo não disse, mas pensou: quem não se atrasa é o noivo....
Os relógios de todos marcavam vinte horas e nada do noivo. Cadê Jiliard?  Os pais dele aflitos já pensando desgraça. Será que ele sofreu sequestro relâmpago? Tão bem vestidinho....
Os colegas dele já pensando bobagem cochichavam entre si:
- Vai ver que ele deu no pé...Arrependeu-se do projeto de  casar e se mandou...
Consuelo mandou o marido ligar para celular do noivo, só dava fora de área ou desligado. O tempo passava e a noiva começou a chorar, já se sentindo viúva.  O pai de Jiliard e um irmão de Isabel resolveram ir até em casa para ver se havia alguma coisa. Cada fechada, tudo escuro e nada de noivo. Voltaram com cara de desconsolados.
Os dois outros casamentos da mesma noite  já haviam se realizado. Isabel já com a maquiagem borrada não arredava pé da porta da igreja. Esperança ali não ia morrer tão cedo.

Onze horas da noite. Aí, os pais da noiva deram um basta naquilo: e despediram os convidados e convenceram a filha a voltar para casa. Depois, no outro dia veriam o que acontecera. Não teve depois, não tiveram notícias alguma de Jiliard.

                             continua...

by Didi Leite

Nenhum comentário:

Postar um comentário