ARTE DAS LETRAS

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

POESIA - A MENINA COR DE ROSA


              A MENINA COR DE ROSA

Menina do diário cor de rosa,
cheio de desenhos e sonhos copiados.
Todo colorido por escrita com canetas mil,
fluorescentes, cores opacas e diversas.
Corações, estrelinhas, bonequinhos e ursinhos meigos,
a mimosear suas páginas, descortinando uma alma
delicada e carinhosa.
Entre margaridas e rosas segredinhos, declarações,
versinhos copiados de quem nem sabe o autor.
Pensamentos do que pensa disso e daquilo,
como seria se pudesse ser aquilo que não é.

E a menina, quase mocinha, carrega seu diário
para baixo e para cima como tesouro bem guardado.
Não desgruda daquilo que é sua extensão de vida.
Mágoas, indagações, dúvidas, alegrias  e o nome do amado,
que é seu gato da hora.
Tudo ali registrado.

Meninas dos diários de tantas cores!
São diários ou são agendas?
São aconchegos!
Pra ninguém ler!
Intimidades dos corações.
Primeiros segredos íntimos das futuras mulheres!

Aquela música? A letra está lá!
Aquele cantor? Aquele artista da novela? Aquele galã do filme?
Estão lá, recortados e colados!
Aquela cantora? Inteira está lá!
Quando não tem a quem se queixar,
faz queixa ao seu amigo silencioso e inseparável
- seu diário –

Desenha estrelinhas,
estrelinhas cortando o céu com caudas coloridas.
São estrelas cadentes?
Então  faz um pedido.
Ou são cometas?
E a menina sonha viajar
pelo universo na esteira de uma cabeleira de cometa.

Desenha um coração flechado por cupido,
Imagem tão antiga quanto é o amor.
Versinhos amorosos,
Poeminhas  em tom maior.
   Monogramas de iniciais  de nomes
entrelaçados, agarrados pelo tempo
que esse amor durar.
Páginas e páginas onde tem-se
a transparência da adolescência.

 Ai de mim se perco meu diário!
Diz a menininha num medo cor de rosa.

Escreve, menina, escreve,
Guarda, menina, guarda,
Sonha, menina, sonha,
Quem sabe amanhã você vira poeta cor de rosa?

by Didi Leite

  










Nenhum comentário:

Postar um comentário