ARTE DAS LETRAS

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

POESIA - PORTÃO DE PASSAR CRIANÇA


O PORTÃO DE PASSAR CRIANÇA
Num quintal desses encantados
ficava a casa da vovó ,
que era  doce como ela só.
Bem ao lado ficava a casa da netinha,
que se valia de um portão
 que se abria no muro para passar criança,
muro que dividia os dois quintais.
Com o  portão aberto  tudo virava
um espaço só, o espaço da casa da vó.

E todo dia de manhãzinha
lá vinha aquela florzinha
buscar carinho e dar beijos na avó adorada.
E como num passe de mágica
a menina abria o portão e em dois tempos,
um pé cá e outro lá,
já trocava de lugar.
Lá ia ela  cozinha adentro dizendo com sua vozinha:
- Bença, vó!
E assim, começava o dia encantado
onde perguntas não faltavam,
e a doce avó paciente ia esgotando
os porquês sim e os porquês  não.
Haja tempo, amor e coração
para  conversar com aquele pingo de gente
como se fosse gente grande.

Mas avó e netinha têm laços eternos
mais do que de sangue,
laços que não desatam nunca,
bonitos e caprichados
cheios de floreios e doces como rebuçados.

by Didi Leite
Ilustração Imagem Google


Nenhum comentário:

Postar um comentário