ARTE DAS LETRAS

sábado, 31 de outubro de 2015

POESIA - SOU


SOU

Sou porosa na vida.
Tenho sentimentos oscilantes,
que me fazem alegres
logo depois tristonha.
Sinto medo, sou intrépida e corajosa.
Confio, desconfio e me resguardo.
Não choro, me amarguro.
Decido e me arrependo.
Vou um posso à frente e dois pra atrás.
Sou pêndulo.
Sou incompreensível para mim.
Desisto de me entender.
Às vezes fechada em concha,
outras flor aberta.

Tenho  modos, maneirismos
de quem vive no ar.
Gosto do mar e sequer sei nadar.
Posso ser agradável,
mas desagrado sem me censurar,
Voo com os pássaros,
mas pés fincados no chão.
Canto o canto de uma sabiá,
mas sequer sei cantar.
Sou porosa,
de certo orgulhosa,
rebelde sem rebeldia.
Muito mais sou,
não sou médico, sou louca
de tudo tenho um pouco.
Vivo sem meta
Vou empurrando a  vida como sou.
Porque sou poeta!

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google


Nenhum comentário:

Postar um comentário