ARTE DAS LETRAS

sábado, 31 de outubro de 2015

CONTOS QUE TE CONTO - A ILHA DA PEDRA BRANCA - 9o.Capítulo


A ILHA DA PEDRA BRANCA  -  Romance

                                         9o. Capítulo

                                   ....  continuação

- Tá bom, vó. Obrigado pelos clareamentos das minhas ideias.

A equipe da TV chegou à cidade e foi direto à Prefeitura.
O prefeito quis saber como foi a recepção dos caiçaras. Ricardo foi direto:

-  Caetano, pelo amor de Deus pões luz naquela ilha! Eles não têm luz elétrica! Em pleno século vinte e um, pertinho daqui, e eles vivem à base de candeeiro?!  Me poupe!  Eles nos receberam muito bem, desconfiados, mas nota-se que é gente boa, não há sentimento belicoso.

- Por luz lá custa dinheiro. Depois, eles estarão dispostos a pagar o consumo? Quem paga a conta?  Posso pedir que instalem eletricidade na ilha, mas isso demanda tempo.
- Nada disso. Caetano, se você quer levar eletricidade, luz para aquela gente, eu resolvo isso em dias. A emissora tem como agilizar isso em três tempos.  Basta um toque meu lá na direção e o resto vem depressa. Eu não posso ficar carregando gerador para a ilha. Eu vou precisar de eletricidade.
- Mas e a conta?
- Ora Caetano! Você é candidato à reeleição tenho certeza, depois se fazem os ajustes. Sabe da história de apoio à candidatura, não é? No fim sai até barato para você.
- E no futuro quem paga o consumo? Sim, porque eu não posso custear o consumo de luz da ilha.

- Meu amigo, eles pagam!  Quando usarem luz elétrica, tomarem o gostinho de ter luz em casa, geladeira, televisão e banho quente no inverno, quero ver se eles mandam desligar ou  pagam a conta. Não tem esse que não goste do que é conforto.
- Tá bom! Quando você vai ver isso junto lá da emissora, porque se eu depender dos trâmites legais, luz na ilha nem ano que vem. Sabe como são as coisas, não é?
- Deixe comigo. Vou voltar lá amanhã para saber a resposta do Getúlio, pescador mais velho.  Isso é só  pro forma , porque eu vou gravar minha novela lá, sim!   O lugar é o que eu procurava. A ilha é linda, perfeita para o ambiente da novela. Agora, vou para o hotelzinho, falar com o pessoal da emissora para tratar alguns negócios. E depois, descansar, peguei muito  sol, muito calor.  Que tal jantarmos hoje,  Caetano?
- Tudo bem, jantamos às oito horas lá no Mariscos, certo?  

Na ilha, àquela noite,Vó Miranda mandou preparar tudo para a ciranda. Queria todo mundo no terreiro. Combinou com Getúlio,  Zé da Conceição e Cauê que eles tinham que contar sobre a TV e  avisar como seria o proceder de todos, enquanto os homens estivessem por lá.  

Todos já estavam no terreiro, bebendo refresco, aluá, comendo beiju e pamonha. Num canto, Cauê tocava sua viola baixinho, Fininho deitado aos seus pés. Jani, Ariel, Açucena falavam abertamente sobre a TV:
- Eu não disse que vi o carro da TV na porta da Prefeitura?
- Eles vieram aqui.  Soube que vão morar aqui por uns tempos. Disse Ariel.
- Não é nada disso. Eles só querem filmar aqui. Disse Açucena.
- Isso aqui vai ficar cheio de artistas! Disparou Jani.
- Quando será que eles vêm? Perguntou Ariel.
- Loguinho.  Respondeu Jani.

Vó Miranda bateu palmas chamando o povo para que se calassem e ouvissem o que Getúlio tinha a dizer:
- Pessoal, o caso é que os homens da TV estiveram aqui. Eles querem filmar a novela deles nesta ilha. Vieram pedir nosso consentimento. Vamos deixar que filmem, mas temos algumas imposições a fazer. Pra vocês, eu recomendo prestarem a atenção no seguinte: nada de conversa com eles, principalmente as mocinhas, rapazes e crianças. Eles vão filmar de dia e, à noite, têm que ir embora. Nosso trabalho continua o mesmo de todo dia, cada um sabe da sua obrigação. Eles ficam prá lá e a gente prá cá. Nada de ficar oferecendo comida e bebida, só se for uma água, porque água não se nega a ninguém. Não quero saber de novidades. As mães que olhem as meninas. A gente tem que levar nossa vidinha normal. Ah! E nada de convidar nenhum deles pra ciranda.  Tamos entendidos? Alguém tem pergunta?

- E se eles pedirem?  Falou a espevitada  Jani. Cauê olhou a irmã com olhos fuzilantes e ele mesmo respondeu:
- Pedir o quê?
- Sei lá. Pedir qualquer coisa, como um pedaço de pão.

- Deixa de ser besta, Jani!  Pra que eles querem pão? A comida deles é por conta deles. Só água, como disse Getúlio. E se não ficar perto deles não há chance deles pedirem nada, Entendeu? Você vai ficar com a mãe, lá em casa. E agora vó Miranda, vamos começar nossa ciranda. 

                                                      continua....

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário