ARTE DAS LETRAS

domingo, 6 de setembro de 2015

POESIA - UMA SABIÁ MOCINHA


UMA SABIÁ MOCINHA

Uma sabiá pousava manhãzinha
no beiral em frente da minha janela.
Chegava silenciosa e se deixava
admirar, olhando arisca ao redor.

Graciosa, de papinho amarelo
me dava a certeza de ser uma sabiá,
uma linda sabiá laranjeira.
Nem um pio emitia,
fazendo-me crer que era generosa,
pois parecia trazer mensagem
talvez de alguém que quisesse
dizer-me estar em paz no longínquo horizonte.

Assim como vinha
se ia em menos de um piscar de olhos.
E como posso afirmar ser uma
e não um sabiá?
Saber, não sei
mas alguma coisa na delicada
visão me dizia
que era uma sabiá mocinha.

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google


Nenhum comentário:

Postar um comentário