ARTE DAS LETRAS

domingo, 20 de setembro de 2015

POESIA - POR QUE ESCREVO?


POR QUE  ESCREVO?

Só escrevo porque há um impulso inato
que me faz conviver com as palavras:
todas, sem floreios, sem premeditação,
sem norte de direção.
As palavras brotam,
nascem,
se atravessam no meu pensar,
se arrumam em poéticas frases,
me surpreendem,
e me empurram para o papel.
Porque elas querem espaço
para mais outras brotarem.

Não é de agora,
nem de ontem,
nem de mais de muitos anos atrás,
nem por motivos corriqueiros de amor e afins.
É de sempre esse convívio com a poesia e a prosa.
Porque quando eu era criancinha,
de pés descalços no chão,
e ainda não sabia escrever, não,
as palavras já brilhavam e brincavam em mim.
Então, eu falava e mais que falava sozinha
e criava historinhas e musiquinhas
com as palavrinhas que vinham soltinhas,
isso já era poesia em mim.

Minha mãe me levou ao doutor
por medo de eu estar falando sozinha
e ele bonachão sorriu e disse:
- deixe a menina falar quanto quiser,
isso é bom sinal, é sinal de inteligência,
saber criar historinhas na sua cabecinha.

E assim estou até hoje,
por isso escrevo, se não escrevo penso,
se penso, logo existo,
e fica tudo certo assim, até final dos meus tempos,
sempre escrevendo.

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google


Nenhum comentário:

Postar um comentário