ARTE DAS LETRAS

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

CONTOS QUE TE CONTO - BERÊ NÃO VEM MAIS? - 7a.Parte



CONTO
                                   BERÊ NÃO VEM MAIS?

                                                   7a,Parte

                                                    ..... continuação


- Berê, a fada das rosas vai saber que eu comi o mingau? Você vai contar para ela?
- Ah! Vai saber sim! Agora, a princesa precisa dormir um pouquinho, vamos fechar os olhinhos?

Jaqueline saiu do quarto espumando de raiva, seguida pelo marido que elogiou o modo de Berê. Pronto! Ali, Berenice assinou sua sentença. Jaqueline passou a ter ciúme desvairado dos filhos com a babá.  Tomou implicância e antipatia crescente pela  moça. Isso crescia na medida em que sabia que precisava dos serviços dela, e, que não encontraria uma substituta igual. Jaqueline não via saída para se livrar de Berê tão cedo. 

A princípio, Berê não notou a hostilidade com que Jaqueline a tratava. Célia, a empregada da casa, notou e comentou com a babá:
- Nossa! Mas dona Jaqueline está tão grossa com você! O que houve entre vocês?
- Eu não fiz nada. Não sei. Acho que ela deve andar nervosa.
- Isso para mim é ciúme. Ela tem ciúmes das crianças com você.
- Ciúmes?! Mas por quê? Eu trato as crianças bem porque gosto delas,  gosto de criança e adoro cuidar dos três. Eu vi todos ainda bebezinhos. O Bruno só tinha um ano, nem andava ainda, quando cheguei aqui. O Mateus e a Maria Luiza vi nascerem. Cuidei deles desde que mamavam no peito da mãe. Elas ficam mais comigo porque dona Jaqueline trabalha o dia inteiro. Foi ela quem quis uma pessoa para cuidar dos filhos. Não entendo isso.

- Mas é assim mesmo. Elas precisam da gente, mas, ao mesmo tempo, não gostam de que a gente ocupe o lugar delas.
- Célia, eu não posso fazer nada, se ela tem ciúmes das crianças. Não vou mudar meu jeito com os pobrezinhos, que ficam sem a mãe e o pai o dia inteiro.
- Só estou dando minha opinião. Sabe de uma coisa? Faça seu serviço e não ligue para dona Jaqueline. Ela, tem horas, que parece meio destrambelhada. Não sei, parece que se enche de raiva à toa. O marido, seu João Carlos, é muito legal, muito educado. Trata a gente com muito respeito. Mas você pode notar que ele não dá muita chance para a mulher, não. Com o marido ela tem outro jeito de falar. Mesmo aborrecida, ela não se espalha, não. Então, não há nada de nervoso, ela tem é gênio brabo mesmo.

No próximo ano, Maria Luiza ia para a escolinha maternal, já ia fazer três anos, e, como os irmãos, a mãe queria que a menina se socializasse e já se preparasse para o Jardim de Infância. A menina repetia que ia para a escola, mas só se a Berê fosse com ela. A mãe ficava irritada e respondia que a escolinha era só para criança. A menina saia correndo atrás de Berê. A mãe resmungava dizendo:
 - Mas que grude dessa menina com a  babá!

Os meninos, Bruno e Mateus, tinham agarramento com Berê. Tudo contavam para ela, e pediam tudo a ela. Incrível, mas os dois obedeciam a tudo que a moça falava. Berê tinha um jeitinho todo meigo de falar com os meninos. As coisas mais absurdas que eles queriam, a moça dava conta de atender. Mateus, que era o mais cordato,   aprendeu a desenhar na escola um coração. Pois o menino desenhou um coração num papel, pintou de vermelho e deu para Berê. A moça ficou toda encantada e elogiou o feito do menino. O coração estava torto, mas recebeu elogio como se fosse um desenho perfeito. O menino gostava de desenhar. Berê guardou o desenho e não mostrou a ninguém. A moça pensou: - Deus me livre se dona Jaqueline visse isto!

 Um dia, Jaqueline chegou mais cedo do trabalho e encontrou Berê sentada no chão junto com Mateus e Maria Luiza. A moça lia um livrinho de história todo colorido para os dois. Maria Luiza fazia perguntas sobre o coelho da história e Mateus respondia, pois já conhecia aquele livro. Os três estavam distraídos e não viram Jaqueline chegar. A mãe olhou a cena e, logo, acabou com a história:                                                
-  Pelo que estou vendo, ninguém aqui  tomou banho, não é?

                       continua.....

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário