ARTE DAS LETRAS

sábado, 8 de agosto de 2015

POESIA - PASSAGENS



                PASSAGENS

Nos fundos do quintal da  minha casa
Passava um rio de águas cristalinas.
Lá  ia banhar meu coração para refrescar
O calor da saudade que sentia,
Quando pensava na distância que você
Ficara daqui, de mim, e de tudo que era seu.

 Na frente da minha casa havia um jardim
Onde todos os dias ia olhar
O maravilhoso leque de cores que as flores
E as folhagens davam de presente para alegrar
A vida rotineira de ausências e silêncios
Que havia em mim.

 No meio da minha vida passava um trem
Carregando sentimentos misturados,
Que só me confundiram
Na falsa ideia que vivia feliz.
Emoções que não me levaram a nada.
Sonhos de dias e noites

 Este trem atravessou
as quatro estações da minhas emoções:
O verão despertava-me paixão.
O outono me deixava um triste canto de adeus.
O inverno a alma fria e dolorida ao relento
Na primavera novas esperanças de uma
Estrada florida e novos amores.

 Hoje, já não embarco neste trem.
Cresci por fora, amadureci por dentro.
As frustrações me ensinaram a ficar quieta
Só olhando este comboio passar.

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google


Nenhum comentário:

Postar um comentário