ARTE DAS LETRAS

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

POESIA - DE VOLTA PRA CASA


DE VOLTA PARA CASA
E de repente a gente se perde no caminho,
são tantos atalhos,
tantos espantalhos,
tantas miragens,
tantas palavras mágicas,
tantos modismos,
tantas misturas,
que confundem  e embaçam
a trilha  da inclinação,
 a verdadeira e primeira
que certo se seguia.

Quem perde o fio de uma meada,
quanto mais o procura mais embaraçado fica.
E nesse emaranhado, com paciência
e determinação, acha o caminho de volta.
Voltar fechando os olhos,
porque na mente se tem a raiz verdadeira,
aquela dos inícios.
Mas quando se chega à fonte  da criação
que alívio!
Enfim , a precípua emoção.    

by Didi Leite

Ilustração Imagem Google


Nenhum comentário:

Postar um comentário