ARTE DAS LETRAS

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

CONTOS QUE TE CONTO - UMA VELHA CANÇÃO



CONTO
                             UMA VELHA CANÇÃO

                                                  4a. Parte

                                                  ....continuação

  Tem uma coisa importante: o traje é esporte.  Nada de terno e gravata!
- Está bem!  Eu vou!  Mas onde é esse restaurante?
- Não sei. Depois de tudo organizado, a Clarinha vai mandar o endereço certinho. Bom que você aceitou, que você vai!
- Até sexta-feira, Gustavo, você conseguiu!
Ronaldo resolveu comprar uma camisa nova para o jantar. Como já dissera sua mulher, suas camisas já estavam muito batidas.  Na hora do almoço, lá foi ele à rua procurar um uma camisa esporte.  Tinha que ter alguma coisa verde, lembrou que Vanessa gostava de verde.  Achou uma camisa muito cara de malha fria, creme com três listras verdes até a altura do peito, o resto era toda creme. Enquanto esperava ouviu da loja de discos em frente a música ¨deles¨, pura coincidência.
Tão bom encontrar com você
Sem ter hora marcada
Te falar de amor bem baixinho
Quando é madrugada...

Tão bom é poder despertar
Em você fantasias
Te envolver, te acender
Te ligar, te fazer companhia...
Leva
O meu som contigo, leva...


      
            
Estava pensando, por que tinha que tocar aquela música, justo naquela hora?!  O vendedor cortou seu pensamento entregando-lhe o pacote com sua compra.

Chegou a sexta-feira, o dia do jantar. Ronaldo foi do trabalho  direto para casa. Eram dezoito horas e o encontro era às vinte horas, lá no restaurante.  Depois de estar pronto, olhou-se no espelho e achou que estava apresentável.  A mulher  disse-lhe que estava um  ¨gato¨.  Ronaldo riu.  Ele era um homem bonito. Foi um rapaz muito bonito, de chamar a atenção, agora, mais maduro, estava lindo. Cabelos querendo ficar grisalhos nas têmporas, era alto, um metro e oitenta e sete, olhos esverdeados, pele do rosto muito boa, dentes certinhos e um ar afável. Todos gostavam dele, ele tinha carisma, era simpático com todos naturalmente.
 Chegou ao restaurante e, lá, encontrou Gustavo, Clara, alguns colegas. Foi aquele abraço de reencontro. Logo, chegaram mais colegas e o professor Moura. Foi uma festa que fizeram ao bom e velho professor.  Finalmente, chegou a figura principal: Vanessa !   Ela estava linda, usava um vestido amarelo ouro queimado, pouca maquiagem, uma gargantilha fininha de pedrinhas verdes e um sorriso encantador. Todos a abraçaram, e ela sorridente, falava o nome de todos. Quando chegou a vez de Ronaldo, ela deu-lhe um abraço muito apertado, dizendo:
- Até que enfim você veio!  Na minha despedida esperei por você a noite toda, mas você não foi. Saudades! Senti muitas saudades de você.  Mas agora posso matar minhas saudades!
- É bom vê-la assim tão bem disposta, tão bonita. Que  bom que você voltou!
Clara interrompeu a conversa e convidou a todos para um brinde em homenagem a Vanessa.  E o jantar começou a ser servido.

                                                      continuar....
by Didileite
Ilustração Imagem Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário