ARTE DAS LETRAS

terça-feira, 29 de abril de 2014

POESIA - Lentidão -





                                  LENTIDÃO

Um navio que sai do cais,
Sai tão lentamente,
Que ninguém percebe que ele está se indo.
Grande, alto e pesado move-se
Devagarzinho, e quando notamos já vai longe.

Longe e devagar vai se tornando,
Pequenino no horizonte mar céu,
Até não mais se avistar.

Se foi singrando lá onde a vista
Não dá mais para alcançar.
Tal qual a vida que passa e não se vê.



      Direitos Autorais Registrados na Fundação Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro
       Ilustração Imagem Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário