ARTE DAS LETRAS

domingo, 27 de abril de 2014

CONTOS QUE TE CONTO - Opção de Vida - 3a.Parte



                                                                                ... continuação



                Os anos corriam, Clara Maria estava um pouco desgastada com Estevão. Nos dois primeiros anos de convivência, o rapaz não estava correspondendo ao que a mulher esperava dele como marido.  Iam vivendo, e  Shizue crescendo.  A avó, dona Helena, agora estava bastante apegada à neta. Quatro anos já ia fazer a criança, quando Clara Maria viu que estava novamente grávida, e era outra menina.

            Em pleno outono, nasceu sua segunda filha. A mãe estava emocionada outra vez:
- Mas você é tão linda minha filha ! Parece até uma japonesinha com esses cabelos pretos!  Você veio para completar mais ainda minha vida.  Filhinha você vai se chamar Akemi, que em japonês que dizer bela e resplandecente ! 
Clara Maria foi mãe pela segunda vez aos quarenta anos.  E agora chegava de filhos.  Duas filhas, já estava de bom tamanho.

            Shizue e Akemi cresciam sadias, traquinas e lindas. Akemi parecia uma boneca mesmo, pelas feições delicadas que tinha.  Logo Shizue entrava para a escolinha, já estava na hora de ir para o jardim de infância.  Para a mãe era uma tranquilidade, pois dona Helena cuidava das crianças, levava Shizue para a escola, e o pai, Estevão ia buscá-la à saída da aula.  Enquanto isso, Clara Maria trabalhava.

        As pessoas, quando sabiam dos nomes das meninas, perguntavam se o pai era descendente de japonês, ao que Clara Maria explicava:
- O pai é brasileiro mesmo. Eu sempre gostei muito da cultura japonesa e sonhava quando tivesse um filho ou uma filha dar-lhe um nome japonês.  Shizue e Akemi são minhas sakuras, quer dizer, flor de cerejeira. Esta árvore, a sakurai, floresce por volta de vinte de março, início da primavera no Japão.  As sakurais ficam cobertas de sakuras, flores de vários tons de rosa.  A floração dura só alguns dias. Depois as flores caem ficando só as folhas verdes.
E todos ficavam encantados com a história dos nomes das meninas.

            E olha, outra vez aí, cumprindo-se o dito popular: ¨ O homem põe e Deus dispõe¨.  Já, há algum tempo, dona Helena estava internada em um hospital  por problemas de saúde. A boa senhora não melhorava, a diabetes agravava-se.  Num sábado, de manhã, Clara Maria estava fazendo compras em um super mercado, junto com sua irmã, quando o marido ligou pelo celular:
- Neguinha, você está precisando de ajuda ? Quer que eu vá até aí ajudar a carregar as compras ?
- Não ! Não estou fazendo compras grandes, só algumas coisas para o almoço de amanhã.  Eu e Elisa já estamos acabando aqui. E você, já comprou o peixe ?

                                                    continua...
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário